Domingo, 14 de Agosto de 2022
14°

Alguma nebulosidade

Osasco - SP

Especiais Crime sem precedente

Sem comprovação ou estudos que indiquem benefícios, países forçam vacinação obrigatória em crianças

O número de mortes por Covid-19 representam 0,1% dos casos a nível mundial, o que não justifica vacinação segundo o presidente da Conselho Federal de Medicina.

30/12/2021 às 12h42 Atualizada em 30/12/2021 às 14h30
Por: Diego Giliotti
Compartilhe:
Sem comprovação ou estudos que indiquem benefícios, países forçam vacinação obrigatória em crianças

Associação médica brasileira (AMB) defende criminosamente a obrigatoriedade da aplicação de vacinas em crianças de 5 a 11 anos, mesmo não havendo estudos conclusivos, mesmo havendo milhares de casos com complicações e manifestações de efeitos colaterais, óbitos e denúncias mundo a fora, quando aplicadas em crianças e jovens.  Sem nenhum amparo científico, a associação sob a presidência do Dr. César Eduardo Fernandes, vice-presidência Dra, Luciana Rodrigues Silva e o secretário geral Dr. Antônio José Gonçalves tenta levar as pessoas a falha sensação de que suas crianças estarão seguras ao serem imunizadas, tal afirmação não pode ser feita, pois não há estudo conclusivo. No site da AMB é possível ver a propaganda com o slogan: A ciência comprova: vacina salva. E ainda afirmam que vacina pode evitar a contaminação, o que não é verdade, pois o vacinado continua sendo infectado, conforme afirma os próprios fabricantes.

https://amb.org.br/noticias/vacinar-seu-filho-e-um-ato-de-amor/

Súbitos

Um grande salto em súbitos tem chamado a atenção de médicos pelo Brasil, não há nenhum outro registro que se equipare a quantidade atual de casos em pessoas de várias idades, O mal súbito tem atingido grupos entre jovens, adultos e idosos. O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) registrou 143 casos de mal súbito durante a semana do Natal, segundo balanço divulgado pela unidade na última segunda-feira (27).

Em Santa Catarina, o Corpo de Bombeiros registrou 30 atendimentos em menos de 48h no dia 16 de dezembro. O Sistema de Emergência do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina publicou no Twitter as dezenas de casos de mal súbito.

O presidente do Conselho Federal de medicina (CFM) Mauro Ribeiro disse em entrevista ao programa Direto ao ponto que se coloca contra a vacinação de crianças na faixa etária entre 5 e 11 anos, devido a falta de estudos que indiquem a necessidade, mas que não há base cientifica, pois o número de mortes de crianças e adolescentes com Covid-19 é pequeno, e não justifica a aplicação do imunizante nessa faixa.

Mortes de crianças 

Levantamentos feitos pela OMS entre dezembro de 2019 e outubro de 2021 mostram que as crianças com menos de cinco anos de idade representam 2% dos casos globais de Covid-19, ou 1,9 milhão. Em quase dois anos, o vírus matou 1,797 crianças menores de cinco anos, representando 0,1% de todas as mortes registradas no mundo.

Crianças acima de cinco anos e adolescentes de até 14 anos representam 7% dos casos globais de Covid, com mais de 7 milhões afetados pela pandemia. Segundo a OMS, pessoas com menos de 25 anos de idade representam menos de 0,5% das mortes globais registradas. 

Em fala pública, o presidente da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus disse:

"Vacinas que estão emergindo agora, e seus benefícios, especialmente em grupos de idosos, especialmente entre 60 e 65 anos, então se for usada é melhor focar nesse grupo com doses de reforço. Ao invés de como vemos alguns países usando as doses de reforço para vacinar crianças, para quê, matar crianças!?"

A mídia mainstream, juntamente com conglomerados de comunicação, que tentam manter o monopólio da verdade, se usando de mentira, taxou a fala de Tedros como um “erro” de interpretação, ou que a mensagem foi posta fora de contexto. Não é novidade para ninguém, que os grandes grupos farmacêuticos são os principais financiadores dos grandes grupos de comunicação, e em grande parte são seus acionistas diretos.

O que se tem visto, é um avanço no lobby farmacêutico, na tentativa de impulsionar ainda mais suas vendas, usando políticos, burocratas e a mídia tradicional como ferramentas de controle, manipulação a serviço de uma nova ordem mundial, que há muito deixou de ser teoria da conspiração ou roteiro de ficção científica, e passou a ser fato em nosso dia-a-dia, com as obrigatoriedades insanas de passaporte sanitário, para um imunizante que já provou não imunizar e causar efeitos colaterais como miocardites e tromboembolismo, a classificação entre vacinados e não vacinados, o uso da força policial como temos visto na Alemanha, Canadá, Austrália, Itália contra aqueles que se opõem a obrigatoriedade da vacina.

 O próprio estudo da Pfizer, submetido ao FDA, estima que para cada 1 milhão de doses aplicadas em crianças de 05 a 11 anos, será evitada 01 morte. Neste mesmo universo, a cada 1 milhão de doses da Pfizer aplicadas, teremos 179 casos de miocardites.

Lucro

A Pfizer informou que teve lucro líquido de US$ 8,15 bilhões no terceiro trimestre, um avanço ante o lucro de US$ 1,469 bilhão de igual período de 2020. O lucro por ação ajustado ficou em US$ 1,34, de US$ 0,59 anteriormente e acima da previsão de US$ 1,08 dos analistas ouvidos pelo FactSet.

A receita da empresa avançou a US$ 24,094 bilhões, alta de 134% na comparação anual. A Pfizer teve um grande aumento na sua receita com o segmento de vacinas, a US$ 14,583 bilhões, de US$ 1,717 bilhão no terceiro trimestre do ano passado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Diego Giliotti
Diego Giliotti
Sobre Jornalista, publicitário e libertário.
Osasco - SP Atualizado às 08h58 - Fonte: ClimaTempo
14°
Alguma nebulosidade

Mín. 13° Máx. 28°

Seg 29°C 15°C
Ter 30°C 17°C
Qua 26°C 18°C
Qui 25°C 16°C
Sex 18°C 11°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete